Comunidade Brasil em Foco – Arautos da Morte

arautos

 

Olá Guardiões!

Está de volta o “Comunidade Brasil em Foco”, o lugar onde vocês ficam conhecendo pessoas que fazem parte da nossa comunidade. Hoje vou conversar com um clã que tem o propósito de guiar os Guardiões, novatos ou não, em busca de conquistar as Incursões, troféus e muita diversão e amizade. Vamos conversar com dois dos muitos membros deste clã muito bacana. Conheçam os Arautos da Morte.


Olá! Seja bem-vindo ao “Comunidade Brasil em Foco” aqui na Vanguarda. O lugar onde fazemos questão de apresentar aos outros jogadores pessoas como eles que tentam fazer a diferença na comunidade. Comecem se apresentando para os outros Guardiões.

Edu: Olá, meu nome é Eduardo. Tenho 36 anos de idade, trabalho na área do direito, casado e tenho uma linda filha de 15 anos. Moro na pacata cidade da Lapa/PR, região metropolitana de Curitiba. Sou gamer assumido e jogo desde a era Atari. No Destiny eu estou peleando desde o lançamento do jogo.

Del: Olá Guardiões! Meu nome é Aderson e minha ID é M_W_3_BR. Jogo na Plataforma PS4.

Falem um pouco sobre o clã de vocês. Como surgiu e de onde veio a ideia do nome e dessa bela logo que vocês tem (hehehe)?

Edu: O clã “Arautos da Morte” surgiu de uma cisão de um clã maior de jogadores do ps3. Inicialmente com o nome de “Caçadores de Pesadelos”, foi democraticamente alterado para “Arautos da Morte” e o significado é simples: somos os responsáveis por anunciar a morte à treva nos cantos mais sombrios do cosmo. Hoje contamos com um pouco mais de 60 membros nas plataformas ps3 e ps4, de jogadores ativos e apaixonados não só pelo jogo, mas pela união e amizade nascida dele. A logomarca do clã foi uma criação sob medida do nosso parceiro e amigo Edson Souza, o mandachuva e senhor supremo do The Vanguard, o melhor site sobre o Destiny hospedado em terras brasílis. Uma parceria que vêm dando certo e espero eu produza muitas outras coisas bacanas.

Del: Comecei no jogo em fevereiro/15 e por volta de Abril entrei no Clã AggressivesBR. No começo era muito bacana. Muitas horas de jogo e diversão com os integrantes do Clã. Mas o estrelismo aliado a falta de “caráter” de alguns membros, acabou dividindo o grupo, e com isso, aqueles que realmente curtiam o jogo e buscavam a diversão em primeiro lugar acabou saindo. Nesse Clã foi onde conheci o Eduardo Scheffer. E nós estávamos entre esses que saíram.Foi aí que o Eduardo teve a ideia de fundar o Arautos da Morte e me convidou para fazer parte. O Nome do Clã foi ideia do nosso Fundador e Líder Eduardo Scheffer. Ele ate consultou os integrantes para saber se alguém tinha alguma ideia para o nome, mas todos concordaram co Arautos da Morte. O Nome Arauto, provem da antiguidade e tem origem Francesa e significava “Mensageiro”. Alguns integrantes do antigo Clã souberam da fundação do Arautos da Morte e procuraram o Eduardo para ingressarem no Clã e assim surgiu o Arautos da Morte. Normalmente só entram no Clã pessoas indicadas, porque sempre presamos a diversão em primeiro lugar. A filosofia do Clã é Amizade, confraternidade, diversão, ajudar guardiões na evolução e acima de tudo respeitar independente de qualquer situação. Nosso líder e fundador presa muito o bom senso e cobra quando algo sai fora do contexto.

Onde podemos encontrar vocês na internet? Vocês tem um grupo ou página?

Edu: Temos dois grupos no whatsapp, um para jogadores do ps3 e outro para jogadores do ps4, além de um grupo fechado no facebook e a página oficial do clã junto ao site da Bungie.

Del: Sim. Temos o grupo do Facebook Arautos da Morte. É um grupo fechado somente para membros do Clã.

Quais são suas subclasses e armas favoritas?

Edu: Definitivamente a subclasse de arco do titã, para mim, é a porta de entrada para o jogo. Boa parte das mais de duas mil horas de jogo que tenho eu gastei usando essa subclasse. Já no que diz respeito às armas, destaco apenas uma, para não ser injusto com as demais meninas (armas). A Abusada me rendeu muitos “elogios” no crisol e é uma companheira e tanto no pve.

Del: Dançarino Lacerante, pela agilidade e eficiência em escapadas. Combatente pelo eficiência de destruição do Punho do Caos e Granada Relâmpago. Andarilho do Vácuo pela eficiência da Bomba Nova (Embora não jogue muito com Arcano).
Arma Principal: Tenho preferência por Fuzil de Batedor com Firefly. Curto a sensação que sinto ao explodir os alvos. O Fuzil de batedor se encaixou melhor no meu estilo de jogo. Meu preferido é o Júri Indeciso. Joguei, praticamente, todo ano 1 com Canhão de mão, mas com os Nerfs, acabei desgostando de jogar com os canhões.
Arma Secundária: Uso muito Sniper, tanto para PVE, quanto para PVP (mas não sou Camper rsrs). Em especial curto a Encarada de 1000 Jardas e LDR 5001 com Firefox, e claro!
Arma Pesda: Para PVE uso Bazuca (Gjallarhorn e Fole de Tormod) em algumas situações acabo usando Espadas (Coflagra Chamas). No PVP uso Metralhadora (O Fim de Qullim) acho mais eficiente e dar para derrubar mais oponentes.

Qual o momento mais memorável que vocês gostariam de compartilhar conosco?

Edu: Costumo dizer que não somos um clã, mas sim uma família e por isto não temos um único momento memorável, mas sim vários. Pensando assim, não tem como deixar de destacar a união incólume dos membros do clã que em algumas oportunidades repôs consoles de ps4 comercializados por membros da nossa família que passaram por dificuldades momentâneas. Nada supera isto na memória de nenhuma de nós.

Del: Em Fevereiro de 2016, a empresa que trabalhava declarou falência e deixei de receber uma boa grana para me desvincular da empresa. Tenho família e devido a algumas complicações no nascimento de minha filha minha mulher não pode trabalhar e com isso todo sustento de casa, e minha responsabilidade. Comecei correr atrás de algumas oportunidades, mas, a situação do mercado acabou contribuindo para uma queda brusca de salários e com isso comecei fazer bicos e chegou em um ponto que tive que vender meu PS4. Antes mesmo de entregar o console que vendi, chegaram 3 membros do Clã na minha porta com um console novo na caixa. Esse console foi resultado de um rateio entre os membros do Clã, para que eu não parasse de jogar. Confesso que essa atitude me ajudou muito a superar aqueles momentos terríveis que estava passando. Além das horas de diversão que tinha quando entrava no mundo de Destiny, que me tirava do mundo real e diminuía, e muito, a minha tensão.

Realmente, receber algo assim é memorável. Eu me senti abraçado pela comunidade quando ganhei dela o meu PS4. Isso tem um valor inestimável. O que ainda prende vocês ao Destiny?

Edu: Definitivamente a amizade que fiz no jogo.

Del: Tenho muitos motivos para ficar preso ao Jogo. Acho a interação através do jogo, muito boa. Curto demais a jogabilidade, os gráficos, os detalhes dos jogo, enfim, acho Destiny um jogo muito bonito e (na minha humilde opinião) muito bem elaborado. Mas são meus amigos que me fazem voltar ao jogo com mais frequência.

Quais suas atividades favoritas em Destiny?

Edu: Assaltos, incursões e a Bandeira de Ferro.

Del: Pela diversidade curto muito fazer assalto. Acho que o matchmaking deveria diversificar mais. Mas não é isso que vai me desanimar.

Estão empolgados com a Era do Triunfo? Têm algum plano específico pra quando a atualização sair?

Edu: Como “fanboy” do jogo que sou, obviamente que estou animado e estamos programando uma maratona com as 4 incursões de uma só vez, com transmissão, se possível, pelos seis membros do esquadrão.

Del: Muitíssimo empolgado. Cada novidade que vem em Destiny, consome muitas de minhas horas vagas, pois curti todas novidades que vieram no jogo até esse momento e acredito que a Era do Triunfo não será diferente. Ainda mais que atualizarão as Raids. Bem, não tenho nenhum, apenas desejo ter tempo para aproveitar ao máximo esse “fim do Destiny 1” e já ficar aquecido para Destiny 2.

Estou recebendo uma mensagem de socorro vindo do Arrecife, teremos que encerrar por aqui. Há algo mais que queira dizer antes de partirmos?

Edu: Firmes na luz do Viajante, somos os Arautos da Morte. Incumbidos de noticiar a falência da treva por todo o universo, temos como norte de nossas atividades o companheirismo e a amizade. Se você enxerga o jogo como nós é bem possível que tenhamos um lugar para você em nossas fileiras de combate.

Del: Gostaria de pedir aos Guardiões que presem pela diversão e pela verdadeira essência do jogo que é o Cooperativismo, ou seja, ajudar e ser ajudado. Uns são mais habilidosos e tem mais tempo para conhecer o jogo e outros apenas curtem jogar, mas, são desprovidos de tanta habilidade e até mesmo tempo para empenhar no jogo. Vamos nos unir para essa comunidade ser um ponto de encontro de diversão.
“Protejam sua Luz Guardiões”!


Muito obrigado ao Edu e ao Del por essa conversa incrível. É bom ver pessoas que tem como foco ajudar e ensinar o máximo de Guardiões possível, afinal, nossa batalha é contra a Treva e não contra nós mesmos. O artigo dessa semana atrasou em um dia por conta de compromissos que tive ontem, mas costumeiramente esperem encontrar uma galera legal da comunidade sendo entrevistada aqui aos sábados.

Se quiserem ver alguém em específico aqui neste espaço, usem nosso formulário de contato ou mandem mensagem pela página da Vanguarda no Facebook.

Fiquem firmes na sua Luz, Guardiões!

Edson “True” Souza.