Comunidade Brasil em Foco – Made in Blood

MIBL

Olá Guardiões!

Comunidade Brasil em Foco está de volta! Trago até vocês uma galera com um projeto muito interessante dentro da comunidade. Eles ensinam os Guardiões a enfrentar a Treva de modo mais efetivo. O propósito deles é ajudar em tudo que for necessário para triunfar sobre os mais difíceis obstáculos de Destiny. Vamos falar com um dos que fazem isso acontecer dentro deste Clã. Conheçam o Made in Blood.


Seja bem-vindo ao “Comunidade Brasil em Foco” aqui na Vanguarda. Espere ver por aqui as pessoas que fazem o seu melhor pela comunidade de Destiny no Brasil. E é por isso que você está aqui! Comece se apresentando para os outros Guardiões.

Marcus: Meu nome é Marcus de Souza, casado e com 36 anos de idade, sendo uns 30 jogando vídeo-games desde o Atari 2600. Passei por Master System, Super Nintendo e finalmente pelos Playstations 1 a 4. Realmente por todo esse histórico posso falar que sou aficionado por jogos desde que a primeira onda surgiu no Brasil nos anos 80. River Raid, Frost Bite e Enduro definitivamente marcaram o início dessa jornada.

Fale um pouco sobre seu clã. Como surgiu e de onde veio a ideia do nome? Qual o objetivo/foco dele dentro da comunidade?

Marcus: O Made in Blood é um clã de Ps4 e surgiu bem antes do lançamento do Destiny, quando em 2012 eu e mais alguns amigos que conheci online jogando Call of Duty Black Ops 2, decidimos nos juntar e começar um clã nosso, com a nossa cara. A ideia do nome, veio algo relacionado a guerra (temática do BO2), onde nossa força era “Produzida de Sangue” dos nossos inimigos. Uma ideia boba, mas que acabamos gostando do nome bem como a nossa tag MiBL. E no fim, todo o clã foi (e ainda é montado) de pessoas que se conheceram online. De lá, já passamos por todos os outros CoD’s, bem como Battlefield 4 e o atual 1, GTA, Rainbow Six, entre outros jogos. E claro, Destiny.

Nosso objetivo é: não jogar sozinho. Simples assim. Você poder jogar conversando, jogando conversa fora e dando risada faz com que a diversão atinja outro nível. O que começou com um clã se tornou um grupo de verdadeiros amigos que ajudam uns aos outros nas mais diversas situações. Chamei pessoas que nem conhecia pessoalmente para o meu casamento. Fui em festa de 15 anos da filha de uns dos integrantes. Já fizemos churrascos em São Paulo, com gente vindo de vários outros estados, buscamos nos reunir de vez em quando porque a distância entre os integrantes dificultam um pouco os encontros. Mas ontem por exemplo, fui até em um chá de bebê de um grande amigo do clã.

Ou seja, há muito tempo deixou de ser apenas um bando de gente que joga junto. É um clã de grandes amigos.

Que experiências incríveis. Destiny realmente nos proporciona amizades sem igual. Mas onde podemos encontrar vocês na internet? Possuem um grupo ou página?

Marcus: No momento temos apenas um grupo no próprio face, mas que está inativo. Nem sei dizer quando foi a última postagem. Depois que o whatsapp chegou e por sermos exclusivamente um clã, a comunicação por este meio acaba sendo extremamente ágil para o que queremos: montar grupos e se acabar de jogar. Quem tiver interesse em entrar em contato comigo, sou um usuário bem ativo no grupo Destiny Brasil®. Só procurar por Marcus de Souza.

Quais são suas subclasses e armas favoritas?

Marcus: É o Pistoleiro. Caçador foi meu primeiro personagem e tive apenas ele por pelo menos 3 meses. Além de que o fato de ser extramente ágil em relação aos demais, acho que combina mais com o meu estilo de jogo. Meu feijão com arroz no Destiny basicamente é composto por Juri Indeciso com Firefly, Eirene de Vácuo com Lucky in the Chamber e O Fim de Qullim. Esta última eu curto pelo perk de recarregamento automático. Descarregar o pente, voltar pra primária e depois sacar ela novamente após um tempo já carregada faz com que o jogador possa maximizar ainda mais o dano nos inimigos em situações extremas.

Caçadores são bem úteis quando não estão zoando com o restante do Esquadrão… Mesmo eles reconhecem o valor de um grupo as vezes. Mas me diga, qual o momento mais memorável em relação ao Destiny que você gostaria de compartilhar conosco?

Marcus: Com certeza foi Skolas. Foi quando o meu projeto da Universidade Raid teve muita procura. Este projeto consiste basicamente em ensinar quem nunca fez a Raid ou tem dificuldade e também poder proporcionar alguém que nunca jogou por falta de grupo/amigos a introdução a esta atividade. Perdi a conta de quantas pessoas nunca tinham feito Skolas ou não conseguiram concluir na época participaram deste projeto. É extremamente gratificante receber mensagens de agradecimento e até mesmo ouvir a gritaria de felicidade dos participantes após a primeira conclusão.

Sabe aquele famoso “AAAAAAEEEEEEEEE” depois de finalizar a primeira raid? Quem nunca? Também não posso deixar de citar que apresentei o jogo para a minha esposa (na época noiva). Depois do casamento, comprei outro ps4 e mais uma TV. Coloquei as duas uma ao lado da outra na sala. E jogamos sempre Destiny sentados no sofá um ao lado do outro. É uma experiência bem bacana. Se você é casado e tem uma esposa que curte games, cogite esta ideia.

Minha noiva não é muito fã de Destiny, ela diz que a Vanguarda toma muito do meu tempo, sabe como é né? Mas deve ser incrível esse tipo de sensação, quem sabe um dia eu não a convença… E o que ainda prende você ao Destiny?

Marcus: A jogabilidade do jogo que na minha opinião é fantástica. Por mais que eu vá jogar Battlefield, CoD ou outro FPS, sinto que a jogabilidade do Destiny está um nível acima dos outros. Assim como muitos, tirei “férias” do jogo devido a falta de novo conteúdo. Mas quando você volta, você tem a sensação de que realmente é um bom jogo e sabe porque gastou bastante tempo nele.

Sei bem como é isso. Embora eu não tenha parado de jogar, Destiny veio voltar a ser o que era agora a pouco em termos de pessoas jogando. E qual sua atividade favorita em Destiny?

Marcus: Definitivamente as Raids. O fato de um time inteiro ter que funcionar como um relógio para cumprir um desafio ou matar um boss proporciona uma sensação indescritível para mim. Quando você joga um PvP, um pode ter matado mais, se destacado mais. Mas na Raid? Todos os papéis são importantes. Se um chefão foi derrotado, isso se deve ao trabalho e dedicação de todos os integrantes, e não de um que carregou o time nas costas.

Compartilho deste mesmo sentimento. O que está achando da Era do Triunfo? Está empolgado com o Destiny 2? O que esperar da universidade em relação a sequência de Destiny?

Marcus: Estou achando fantástico. Mesmo tardiamente, pois eu não acho correto deixar raids antigas para trás, foi muito bom a Bungie ter escutado seus players e ter trazido novamente as Raids antigas de volta. Crota está sendo bem legal neste sentido. Todo mundo fazendo esta semana sem Bugar nada, tudo na raça, com novas mecânicas. Não vejo a hora de jogar Atheon 390!

Destiny 2 não tem nem o que falar, é compra certa. Só espero que as coisas que vejamos antes do lançamento, realmente sejam o que veremos no jogo final. Tivemos uma diferença considerável no que vimos nas apresentações iniciais do Destiny para o jogo final, mas mesmo assim ainda foi muito bom. Que mostrem realmente aquilo que vai acontecer de verdade.

E a Universidade Raid durará o que Destiny durar! Quem quiser aprender, me procure sem pestanejar!

Precisamos partir agora para resolver um problema no Cosmódromo. Que mensagem você deixa para a comunidade de Destiny?

Marcus: Veteranos! Lembrem-se todos que vocês já foram um Guardião com 2 de luz e grimório abaixo de 300. Busquem ajudar os novatos. Mandem convites na torre, enviem mensagens para estes novos guardiões! Apresentem todo o mundo do Destiny para estes players. Vamos aumentar ainda mais nossos exércitos para combater a escuridão! Forte abraço para todos dos integrantes do MiBL – Made in Blood!


Muito obrigado ao Marcus por esta conversa. É sempre bom enaltecer inciativas que prezam pelo coletivo e por compartilhar os conhecimento em favor de uma comunidade melhor e mais igual pra todos.

Já sei o que vocês estão pensando: “Essa matéria não era pra sair Sábado?”. Era sim, mas tive problemas e não consegui lançar antes. Mas não esqueçam: todo sábado um dos membros da comunidade vai dar as caras por aqui falando sobre Destiny e comunidade.

Se quiserem ver alguém em específico aqui neste espaço, usem nosso formulário de contato ou mandem mensagem pela página da Vanguarda no Facebook.

Fiquem firmes na sua Luz, Guardiões!

Edson “True” Souza.