Que Caminho o Destiny deve seguir?

quo-vadis

Olá Guardiões.

Calma, calma que eu explico o que é que significam os dizeres na imagem inicial da matéria. “Quo Vadis” é uma expressão em latim que significa “Pra onde Vais”. E é exatamente o que eu vou abordar aqui: Pra onde o Destiny vai (ou pode ir)?

Destiny anda meio parado por falta do que fazer no jogo. É a opinião da maioria que a Ascensão do Ferro, ainda que tenha feito mais dinheiro no seu mês de lançamento do que quando o Destiny foi lançado, não trouxe o mesmo peso e significância que a expansão anterior, O Rei dos Possuídos. A Bungie, na realidade, precisava tapar o buraco deixado pelo adiamento da sequência de Destiny. Então encarregou um time menor de fazer a Ascenção do Ferro. Até mesmo o Evento de Finados foi amplamente criticado pelo modo com que foi tomado pelas microtransações.


Consequências

Saladino

Se por um lado foi bom usar um time menor na expansão atual pra poder focar no conteúdo maior que virá provavelmente em Setembro do ano que vem, por outro lado causou essa sensação de “vamos criar algo pra encaixar aqui, acho que deve dar”. E não deu. A Ascensão do Ferro tem uma história até interessante, mas muito mal explorada e cheia de buracos que nem o grimório preenche. Quer ver? Vou fazer algumas perguntas bem simples, comparando com o formato que vimos no Rei dos Possuídos.

  • Se estamos enfrentando algo que ameaça a Cidade e até mesmo o planeta inteiro, a Vanguarda e o Porta-Voz não deveriam saber? Ninguém fala absolutamente NADA a campanha inteira!
  • O Chefe final da Incursão foi anticlímax ao extremo. Você enfrenta Senhores do Ferro mutantes, Sacerdotes Simbióticos e Saladino menciona Rasputin, como se realmente algo maior estivesse destinado a acontecer na Incursão. E nada acontece. Você chega em Aksis e o destrói. E sai de lá se perguntando: “Quem era esse cara? Como ele chegou ali? E por que eu preciso ir até ali para matá-lo?”.
  • Temos algumas histórias inacabadas desde O DESTINY BASE! Sei que seria demais pedir que a Estranha Exo aparecesse (seria?), mas eu esperava algo relacionado a Rainha ou a Câmara de Cristal pelo menos. E VARIKS??? Uma casa decaída se levanta e consegue um novo poder pra atacar a Cidade E VARIKS NÃO DIZ NADA? NÃO PEDE NADA? Oh céus…
  • O que fizeram (ou deixaram de fazer) com a Efrideet? A introdução dela foi podre. Foi tipo um trailer de baixo orçamento de Destiny 2 (se esse for mesmo o nome).
  • E cadê as missões extras convincentes? Missões como a Paradoxo, as missões contra os Lobos em Marte, etc. Isso foi uma falha também. Temos quatro jornadas Exóticas das quais eu só achei interessante a etapa final da Kvhostov, por conta da conversa com o Fantasma, e a concepção da jornada da Surto Primordial que foi algo diferente de tudo que já foi visto e feito em Destiny. Mas ainda assim sem muita profundidade histórica dentro do jogo.

Eu poderia me estender mais, mas acho que vocês já entenderam. A Ascensão do Ferro não entregou conteúdo a altura da mídia que foi feita em torno dela. Eu particularmente esperava bem mais, já que se trata de um conteúdo de início de ano no calendário do Destiny (Ano Três).


Mas o que ainda esperar do Ano Três?

variks

Pelo andar da carruagem, vamos ter a SRL – Liga de Pardais novamente. Segundo alguns comentários da própria Bungie o evento vai vir com algumas diferenças em relação ao ano passado. Mas isso por si só não vai reanimar os jogadores. Algo mais tem que vir pra injetar ânimo no Ano Três.

Em Abril desse ano nós recebemos a Atualização de Abril que trouxe novas armas, um novo inimigo, Malok, e uma curtíssima história que acrescentou uma missão no Encouraçado e um novo Assalto na Lua. Recebemos também uma Prisão dos Anciões 2.0, com novos inimigos e recompensas. Eu acredito que vamos receber algo semelhante no ano que vem para o Ano Três. Mas sinceramente espero que não seja apenas mais uma atualização da Prisão dos Anciões com uma novo nível 100% de Demônios Simbiontes. Seria, no mínimo, broxante.

Vários sites já comentaram sobre uma especulação de que a Bungie pode trazer, numa atualização como a de Abril, as Incursões antigas pra o nível de Luz atual. Seria muito bom, mas trazer por trazer pode estragar o jogo. Seria bacana algo que justificasse o retorno a esses lugares.

Eu sugeri uma vez numa conversa com o Carlos do JogandoPlay que a Bungie poderia fazer um novo Evento Público, como a Corte de Oryx, chamado “Os Portais do Tempo”. Você entraria na rede de portais Vex para impedir que eles mexessem na trama do tempo. Isso faria você enfrentar Crota, Atheon, apenas chefes, com algumas modificações pertinentes. Cada chefe que você derrotasse, você teria uma chance de ganhar uma peça de armadura (com luz atualizada) da incursão desse chefe. Aí podia vir a Ir Yut, O Templário, isso seria aleatório ou com rotação semanal. Era uma forma de trazer os equipamentos de volta sem usar a incursão inteira. Se bem que ainda prefiro fazer as incursões inteiras mesmo. Menos o Fim de Crota, que é horrível.

Mas, sinceramente, seria mais interessante a Bungie focar uma atualização, se realmente a tivermos, em uma das pontas soltas que ainda temos. São elas:

  • A Estranha Exo (Muito Improvável): Deve ficar pra o futuro, na sequência de Destiny. Seria legal uma aparição dela pra instigar sobre o que esperar do futuro.
  • Os Cabais e o Sinal Enviado ao Império (Extremamente Improvável): Como essa raça ainda não foi explorada como deveria, não acho que ela seria “desperdiçada” numa atualização pequena. Mas uma pequena referência seria interessante.
  • A Rainha dos Despertos (Pouco provável): Tá legal, tá legal, eu já cansei de falar que temos indícios suficientes pra acreditar que a Rainha está viva. Seria uma boa oportunidade de “resgatá-la” de onde quer que ela esteja para nos prepararmos para a próxima grande ameaça, com a ajuda de Uldren e Petra (E Variks!).
  • Praedyth e a Câmara de Cristal (Pouco provável): É meu arco favorito desde que vi a missão Paradoxo pela primeira vez. E o final alternativo dessa missão nos mostra que Praedyth está vivo e preso em alguma linha temporal pelos Vex. Uma Jornada para resgatá-lo e saber dele que fim levou Kabr seria, no mínimo, INCRÍVEL!
  • Continuação da História dos Senhores do Ferro/Simbiontes (Muito Provável): Detesto admitir, mas é bem provável que isso seja o foco principal caso exista uma atualização no ano que vem. Não que seja ruim, mas dentre as opções esta seria a minha última escolha. Se ela for a escolhida, que pelo menos acrescente profundidade a história como deveria ter sido desde o lançamento da Ascensão do Ferro.

Existe ainda a possibilidade de ser algo “novo”, mas essa eu nem coloco na lista. A Bungie queimou os cartuchos de conteúdo novo para o Ano Três, na minha opinião. Mas torço firmemente para estar errado.


PvP : O que fazer?

crisol

Quanto ao PvP do Destiny, acredito que a Bungie precisa chegar num consenso lá em relação a mudanças. Toda vez que sai uma atualização é uma bagunça no balanceamento. E isso respingar no PvE é mais ridículo ainda. Só mostra que eles estão sem critérios básicos pra definir um ponto onde tudo esteja perfeitamente balanceado. Na minha opinião não deveria existir meta (aquela combinação de armas/habilidades que todo mundo usa por estar “levemente” superior as outras), se existe é por que o balanceamento é falho.

Em se tratando de novos modos de Partidas, eu preferia que fossem adicionadas mais opções nas configurações de partidas privadas, tais como: Remover Munição (Pesada e Especial) dos mapas, bloquear tipos de armas (Ex: Esta partida será só com primárias). Mas novos modos de Crisol sempre são bem vindos.


Bem Guardiões, eu tentei falar de tudo que lembrei em relação ao momento que Destiny está vivendo agora, de falta de conteúdo relevante e com jogadores cada vez mais deixando o jogo de lado. Fico triste por que Destiny tem um potencial incrível pra ser muito mais do que ele é, mas eu não faço ideia do que impede isso de acontecer.

Espero que essa semana comece a dar uma nova esperança a nós jogadores e uma vida nova a esse jogo que tanto amamos (e odiamos, as vezes…).

Fiquem firmes na sua Luz, Guardiões!

#TRUE